Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

saracasticamente

A minha primeira vez... num desfile de moda


Integrado na Porto Fashion Week, Gio Rodrigues apresentou num desfile a nova colecção Primavera/Verão 2016. Recebi o convite da R. para a acompanhar ao evento. Ocultei o nome da amiga e coloquei apenas a inicial porque ao que parece é chique!

Quando uma mulher recebe um convite para um qualquer evento pensa de imediato na roupa que vai vestir. O evento pode ser no próprio dia ou dali a um mês, o pensamento é o mesmo! O segundo passo é vasculhar todo o roupeiro, física ou mentalmente, em busca de algo que se ajuste ao evento em questão. O terceiro passo é proferir repetidamente a frase "não tenho nada para vestir". O quarto passo é ir às compras! Na verdade, qualquer novo evento serve como desculpa perfeita para uma ida às compras! Entre o terceiro e o quarto passo eu decidi, aceitando o facto de ser leiga no que respeita a indumentárias adequadas para assistir a desfiles de moda, fazer uma pesquisa no Google sobre o assunto. Li alguns posts de diferentes blogues sobre o tema,  mas um deles despertou particularmente a minha atenção ao dizer que deveríamos vestir algo simples, confortável, algo que vestiríamos para uma ida às compras. Bom, isto de vestir algo que usaríamos para ir às compras deixa-me preparada para ver pessoas de fato de treino, de chinelos de dedo e até mesmo, se o tempo o permitir, de biquini. Logo todos os meus anseios foram colmatados. Não corro o risco de ir mal vestida!

Mas eis que surge Cristina Ferreira na Milão Fashion Week com o seu "_____" modelito. O espaço em branco é para preencher com o adjectivo que cada um julga melhor qualificar o dito cujo. Os meus anseios voltaram. Pelos vistos só serei fashion se vestir um modelo alusivo à Rua Sésamo. E eu que cresci a assistir à série nunca me tinha lembrado de tal coisa! Visto de imediato umas leggings com um crop top (algo que me parece simples e confortável para ir às compras) e corro à Primark mais próxima. Dirigo-me de imediato à secção de roupa para mulher mas não encontro nada semelhante em nenhum dos expositores. De repente apercebo-me que muito provavelmente o modelito estará na secção de criança. Mas também não encontrei nada semelhante ali. Ocorre-me entretanto procurar na zona dos pijamas. Pareceu-me fazer sentido encontrar tal coisa por lá. Mas também não. Decido então solicitar a ajuda de uma funcionária:

"- Tem camisolas com o Monstro das Bolachas?
- Não...
- Com o Poupas?
- Não...
- Com o Gualter?
- Não...
- E com o Ferrão?
- Também não.
- Mas eu vou a um desfile de moda! Que vou vestir?
- Posso sugerir uma camisola com uma Rena ou com o Pai Natal numa alusão à época que se avizinha.
- Não sei... A Cristina Ferreira ainda não usou nada desse género. De certeza que isso não é fashion."

E saí da Primark de mãos a abanar... Mentira! Comprei 7 pares de meias por 3€, dois pijamas e umas pantufas, mas isso agora não interessa nada!

Sem nada fashion para vestir acabo por vestir um qualquer trapinho que tinha para lá perdido no armário na esperança que as bloggers de moda percebessem mais do assunto do que a vanguardista apresentadora de televisão.
Chegada ao desfile a sensação é de estar num casamento real, sim porque nos casamentos do povo há sempre alguém que vai de calças de ganga. Uma data de tias, querendo parecer mais novas e mais ricas que as outras, pavoneavam-se em modelos chiques com os quais certamente não irão às compras. E nesse momento senti falta da camisola com a rena estampada. Certamente não passaria despercebida. Certamente teria sido comentada. Quem sabe até teria direito a uma foto no canto inferior esquerdo de uma qualquer página de uma revista cor de rosa. Poderia ter feito figura de parola. Seria conhecida como a mulher que foi com uma rena a um desfile de moda. Mas seria conhecida! E parece que isso é tudo o que importa!

 

image.jpg