Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

saracasticamente

Hoje estou de parabéns!

Não, não faço anos. Comemoro 4 anos de divorciada.

Há quem celebre o casamento, eu celebro o divórcio. Celebro o dia em que voltei a viver.

 

Há 4 anos, assim que saí da conservatória enviei uma mensagem a uma amiga. À amiga a quem eu devo a minha vida. A única que percebeu, mesmo sem eu nunca ter dito uma palavra sobre o assunto, que eu estava completamente encurralada num beco sem saída. Se não fosse ela talvez o desfecho da história não tivesse sido o mesmo.

 

Ela não sabe, mas todos os dias da minha vida agradeço a existência dela. Agradeço-lhe por um dia me ter dito que via em mim a mesma apatia, os mesmos comportamentos, que outrora tinha visto na prima que se tinha suicidado por não ter tido coragem de pôr fim ao casamento. Segurou-me no braço, olhou-me nos olhos e disse-me que não se tinha perdoado por não ter percebido o que se passava com a prima, mas que não deixava que acontecesse o mesmo comigo.

Ela não sabe tudo o que fez por mim nesse dia... Devia-lhe a honra de ser a primeira a saber a notícia.

 

A mensagem que lhe enviei dizia apenas acabou. Acabou. Acabaram as noites que chorei até adormecer, acabaram as vezes que me senti humilhada, me senti desprezada. Acabaram as vezes que me olhei ao espelho e me senti uma merda. Acabou.

E por isso celebro esse dia. E orgulho-me muito de um dia ter tido a coragem de colocar um ponto final naquela relação.

 

E queria deixar bem claro, para todos os que venham a ler este post, que violência doméstica, ao contrário do que muita gente pensa, não é só violência física.

137 comentários

Comentar post

Pág. 1/5