Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Like a boss!

Não gosto que me enrolem. Facilmente percebo se um tipo que me aborda é ou não comprometido. E se pergunto directamente se é ou não espero uma resposta honesta.

Espero... Mas claro que não a vou ter!

 

Foi o caso de um dos cromos que se meteu comigo. Já vos disse que só atraio merda, não já?!

Desconfiei que o gajo tinha uma relação devido às interacções no Facebook com uma gaja. Quando questionado disse que só andava a dar umas voltas com ela, nada sério. Contudo, os comentários dela e as fotos que ela postava mostravam o contrário. Quando questionado sobre isso a resposta dele foi que é um gajo solteiro, que não tem de dar satisfações a ninguém e por isso não se importa que ela publique tais coisas.

 

Ora a Sara não é parva (e por essa razão vai morrer solteira) e continuou a investigação. Num belo dia ele partilha uma foto que ela também tinha partilhado, minutos antes no perfil dela, e surge a seguinte conversa:

 

20170726_191208.png

Viram ali o comentário da Sara?! 

Tiveram sorte, só o viram porque eu tirei um print! O comentário desapareceu misteriosamente...

Segundo o autor da publicação ele é um tipo discreto e aquele comentário poderia induzir outras coisas.

 

A minha pergunta é: as gajas são mesmo parvas e engolem estas merdas ou fazem-se de parvas só para ter um gajo? 

 

Íman de gays

Sou um verdadeiro íman de gays, sejam homens ou mulheres. 

 

Ainda há dias, um tipo claramente gay me dizia que eu fazia o género de mulher dele.

Minutos depois estava a partilhar este comentário com um amigo que me explicou que o facto de eu ter uma personalidade muito masculina confunde os tipos que ainda não saíram do armário.

 

Ou seja, hetero ou homossexual, eu só atraio malta não resolvida...

Truque infalível para engatar gajos

Descobri este fim-de-semana como engatar um gajo na noite.

É muito simples, basta sair com um grupo só de amigas, vestida de branco, com um véu e uma pila na cabeça.

 

O radar de despedida de solteira dos gajos apita de imediato. O véu e/ou a pila na cabeça permite uma rápida identificação da noiva que é provável que esteja suficientemente bêbada para ter sexo com eles, o que aumenta logo a confiança dos gajos para a abordarem. Acresce ainda o facto de provavelmente ela estar disponível para cometer uma última loucura antes do casamento.

Outra clara vantagem é o facto de saberem que ela não quer uma relação e que não vai ligar no dia seguinte a chatear porque já é comprometida. 

 

Assim sendo está combinado, no próximo fim-de-semana vou sair só com gajas (quem quiser que se junte) e testar a teoria de que levar uma pila na cabeça é meio caminho andado para levar com uma pila noutro lado... 

 

 

Mulheres confiantes, sim ou não?

Há uns dias um "homem" (vamos manter homem entre aspas na esperança que a opinião dele não corresponda à da maioria da espécie) disse-me o seguinte: 

 

"Tu és uma mulher confiante, bastante confiante até. A maioria das mulheres não são e nós não estamos habituados a isso, isso intimida. Geralmente as mulheres é que se sentem menos confiantes que nós e não o contrário. Por exemplo, tu dás respostas que me deixas sem saber o que dizer."

 

Ok... Quem não tem pedalada para a bicicleta não pega nela, parece simples.

Mas depois surgem-me algumas questões inquietantes...

 

Não é suposto as mulheres serem confiantes?

Os homens não gostam de mulheres confiantes? Preferem aquelas que perguntam se estão gordas e se ele ainda gosta dela de 5 em 5 minutos?

É mesmo verdade que vou morrer solteira? 

 

 

Também vão morrer solteiros? Descubram neste post!

Imaginem a seguinte situação (puramente hipotética, claro está): estão chateados com a vossa cara metade porque o ser humano fez merda.

Ele sugere estarem juntos argumentando que no dia seguinte parte em viagem durante uma semana.

 

Que respondem? 

 

a) Por favor meu amor não vás embora, não consigo viver sem ti.

b) Encontramos-nos mais logo, quero estar contigo antes de ires.

c) Boa viagem.

 

 

 

 

 

 

Já vos disse que ia morrer solteira?!

Neste último outono uma nova paixão entrou na minha vida: os collants. Com brilhantes, com desenhos, com rendas, com bolas, com riscas... Tenho uma colecção para todos os gostos!

 

Coincidentemente o meu Coiso também aprecia bastante os meus collants.

Há dias surgiu a seguinte conversa:

 

Coiso: Dá-me vontade de rasgar essas meias.

Eu: Estás parvo?! Deixa estar os meus collants sossegados.

Coiso: Não me deixavas rasgar os collants? Eles são mais importantes que eu?!

Eu: Sim, eles pelo menos valem 15€!

 

E é por estas e por outras que quando morrer ninguém vai dar pela minha falta e o meu corpo só vai ser encontrado 15 dias depois...

Coisas que uma gaja tem de aturar!

O meu Ex-coiso é rico em tiradas dignas de registo. Incluir uma das suas tiradas fica sempre bem em qualquer conversa e promove sempre momentos de bom humor.

 

Há dias surgiu a seguinte conversa com o gajo que me atura:

 

Eu: Uma das vezes em que saí com o meu ex, ainda antes de assumir a relação, ele deu-me a mão. Uns dias depois voltamos a sair e eu dei-lhe a mão mas ele largou a minha mão. Mais tarde perguntei-lhe o que se passou para ele ter feito isso e ele respondeu que não era meu namorado para andar de mão dada comigo na rua.

Ele: A sério?

Eu: A sério...

Ele: Isso aconteceu mesmo?

Eu: Aconteceu!

Ele: Houve mesmo um gajo que andou de mão dada contigo na rua?! À frente de toda a gente?!

 

Deve ter a mania que é engraçado... Deve...

Ainda sobre o dia dos namorados (e o meu mau feitio)

Não sou romântica. Ponto. Não sou querida e fofa. Lamento, mas não sou (na verdade não lamento nada!).

 

Por tal razão admiro muito um gajo que consiga aturar-me!

 

Véspera do dia dos namorados:

 

Coiso: Amanhã é dia dos namorados. Vamos jantar fora?

Eu: Jantar fora no dia dos namorados? Nem que me pagassem. Mas podemos estar juntos depois de jantar.

Coiso: Está bem. Mas então assim vou raptar-te até ao meio-dia do dia seguinte.

Eu: Nem penses nisso que eu já tenho um almoço combinado na quarta.

 

Digam lá se eu não sou a coisa mais fofa?!