Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Quero um marido árabe

Sim, é verdade. Ainda não tinha partilhado convosco mas vim de Marrocos completamente apaixonada pelos árabes. 

E antes que digam que eu estou doida de todo eu vou dar-vos alguns argumentos que suportam a minha afirmação.

 

Para começar um árabe não nos esconde dos amigos.

Saí com um enquanto estava em Marrocos e ele apresentou-me a todos os conhecidos dele que passaram por nós e ainda tiramos selfies.

Andei com o meu ex-Coiso meio ano e nunca conheci um único amigo dele...

 

Outra questão importante são as compras.

Todos os meus ex-Coisos a dada altura me disseram "Um vestido? Outro vestido? Mas não compraste ainda agora um vestido? Mas tu tens tempo para vestir esses vestidos todos?"

Mas sabem o que um árabe me disse numa saída de compras? "Escolhe um vestido. Vá lá, escolhe um. Escolhe, eu quero oferecer-te um vestido. Não queres? Mas eu quero oferecer-te, escolhe."

Nem nos meus melhores sonhos eu poderia idealizar uma coisa estas! 

 

Ontem recebi uma mensagem de um dos árabes cujo coração derreti a dizer que tinha saudades minhas (saudades em português e bem escrito). 

Sabem quando foi a última vez que um gajo não árabe me disse alguma coisa romântica? Nem eu me lembro...

 

Mas já sei que vocês e o vosso mau feitio vão querer abalar as minha convicções...

 

Ah e tal, e coisa, mas eles têm muitas mulheres.

Mentira. Só os ricos podem ter mais de uma mulher porque é suposto que eles possam dar a todas as mulheres o que dão à primeira.

E sejamos honestos, vocês conhecem algum gajo rico que só tenha uma mulher?! É que eu não...

 

Ah Sara, mas não podes vestir o que quiseres e nem podes sair de casa sem ele.

Amigos eu também não podia vestir o que quisesse com o meu ex-Coiso e muito menos sair de casa sem ele. A única diferença é que ele não me dava nada...  

 

Para ser franca, o único inconveniente que eu vejo nesta relação é que um dia eu posso estar à espera do gajo, com o jantar na mesa, e ele não aparece porque se fez explodir aí num sítio qualquer...

Isto sim, pode ser uma situação chata, reconheço.

Mas convenhamos, por acaso vocês conhecem algum homem que seja perfeito?! Não! 

Então não vamos complicar que a idade está a passar e não me posso dar a esquisitices! 

Procura-se o Duarte

Das poucas vezes que ouvi falar português ontem na praia foi com sotaque madeirense e brasileiro.

 

No caso do madeirense não ouvi apenas o sotaque mas toda a conversa uma vez que as interlocutoras não falavam propriamente baixo.

 

A dada altura elas falaram de um Duarte e classificaram-no como sendo "grosso e bom no sexo".

Ora o que eu quero mesmo saber é quem é este Duarte...

Maltinha da Madeira alguém sabe quem é o Duarte?!

 

Caso tenham informações é favor enviar mensagem, ele poderá muito bem ser o homem da minha vida!

Querido Cupido...

 

20170515_223913.jpg

Já soube dos teus planos... Por favor se for mais um gajo que não sabe o que quer acerta numa árvore, numa pedra, no que quiseres, mas deixa-me sossegada.

 

Caso o fulano não me dê ouvidos, alguém me sabe dizer se há alguma espécie de colete à prova de setas? Estou desesperadamente à procura de um! 

Também vão morrer solteiros? Descubram neste post!

Imaginem a seguinte situação (puramente hipotética, claro está): estão chateados com a vossa cara metade porque o ser humano fez merda.

Ele sugere estarem juntos argumentando que no dia seguinte parte em viagem durante uma semana.

 

Que respondem? 

 

a) Por favor meu amor não vás embora, não consigo viver sem ti.

b) Encontramos-nos mais logo, quero estar contigo antes de ires.

c) Boa viagem.

 

 

 

 

 

 

Como lidar (de forma não saudável) com a perda do nosso melhor amigo

Nunca é fácil perder alguém que amamos. Mais difícil é quando a perda é abrupta.

Foi o que aconteceu com o meu B.

 

Na maioria dos relacionamentos há um afastamento gradual que nos vai preparando para o final da relação. Com o B. não foi assim. Meia dúzia de dias separaram a última vez que ele disse que eu era das pessoas mais importantes da vida dele da vez que ele me disse que eu lhe metia nojo. Passamos de uma relação de meter inveja a qualquer adolescente a evitar-nos em meros dias.

 

 

O afastamento foi tão repentino que o meu cérebro, meses depois, ainda não o processou! Quando algo importante acontece o meu instinto ainda é "tenho de contar ao B." E só uns segundos depois me lembro que não o posso fazer.

 

Ontem soube de uma cusquice daquelas que dão muito que falar. E gostava tanto de a ter partilhado com ele...

Então partilhei-a!

Se lhe liguei ou me encontrei com ele? Não. Contei-lhe mentalmente! Porque o conheço tão bem ao ponto de saber exactamente o que ele iria dizer e a expressão facial que iria fazer.

 

"Não! Não... Não posso! Jura! Mas tu tens a certeza? Como é que sabes disso?"

Seguia-se o riso maléfico e as piadas intermináveis que iríamos fazer sobre o assunto.

 

E a dada altura deste meu desvaneio dei por mim a rir sozinha!

E foi nesse momento que percebi que nunca perdemos aqueles que amamos. Porque aqueles que amamos de alguma forma ficam sempre connosco...

Haja resiliência!

Sabemos que somos pessoas resilientes quando os nossos amigos têm mais dificuldade em ultrapassar as adversidades da nossa vida do que nós próprios.

 

Diz-me a minha melhor amiga (sim, estranhamente eu tenho disso) quando eu comecei a sair com o meu Coiso:

 

 

"Acho que fazes bem em voltar a sair, não deves ficar presa ao que aconteceu. Nem todas as pessoas são iguais e este certamente será melhor pessoa que o outro. Mas por favor não combines nada a quatro (entenda-se casais) porque eu ainda não estou preparada."

 

Estou a pensar oferecer-lhe um fim-de-semana num spa... ela está a precisar!

 

 

Já vos disse que ia morrer solteira?!

Neste último outono uma nova paixão entrou na minha vida: os collants. Com brilhantes, com desenhos, com rendas, com bolas, com riscas... Tenho uma colecção para todos os gostos!

 

Coincidentemente o meu Coiso também aprecia bastante os meus collants.

Há dias surgiu a seguinte conversa:

 

Coiso: Dá-me vontade de rasgar essas meias.

Eu: Estás parvo?! Deixa estar os meus collants sossegados.

Coiso: Não me deixavas rasgar os collants? Eles são mais importantes que eu?!

Eu: Sim, eles pelo menos valem 15€!

 

E é por estas e por outras que quando morrer ninguém vai dar pela minha falta e o meu corpo só vai ser encontrado 15 dias depois...

Coisas que uma gaja tem de aturar!

O meu Ex-coiso é rico em tiradas dignas de registo. Incluir uma das suas tiradas fica sempre bem em qualquer conversa e promove sempre momentos de bom humor.

 

Há dias surgiu a seguinte conversa com o gajo que me atura:

 

Eu: Uma das vezes em que saí com o meu ex, ainda antes de assumir a relação, ele deu-me a mão. Uns dias depois voltamos a sair e eu dei-lhe a mão mas ele largou a minha mão. Mais tarde perguntei-lhe o que se passou para ele ter feito isso e ele respondeu que não era meu namorado para andar de mão dada comigo na rua.

Ele: A sério?

Eu: A sério...

Ele: Isso aconteceu mesmo?

Eu: Aconteceu!

Ele: Houve mesmo um gajo que andou de mão dada contigo na rua?! À frente de toda a gente?!

 

Deve ter a mania que é engraçado... Deve...