Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Problemas das modas

Já ouviram falar do Januhairy?

Se não ouviram vão agora ler sobre o assunto que isto é um blogue muito informativo.

 

Januhairy é um movimento que desafia as mulheres a manterem os pêlos durante o mês de Janeiro.

Janeiro até é um bom mês para isto uma vez que é inverno e a maioria das mulheres, principalmente as solteiras, não faz a depilação por natureza. Queria ver a adesão disto em Agosto...

 

Eu até aderia na boa e mostraria orgulhosamente o meu sovaco no instagram. O meu problema é que eu aderi à moda anterior: depilação definitiva.

 

E agora? Será que fazem implantes pilosos? 

Assim fica difícil acompanhar as modas...

Prendas de amigos

Após ter recebido o meu presente envenenado comentava com um gajo a situação:

 

- Tu que és gajo diz-me: achas que uma pulseira é um presente de amigo? - perguntei eu.

-  Não. Uma jóia não é um presente de amigo. Nenhum homem vai a uma ourivesaria comprar uma prenda para uma amiga.

 

A conversa continuou e a dada altura eu pergunto o que é que ele me iria dar no Natal se não tivesse feito birra (ele já tinha referido que me iria dar um presente mas como ficou amuado com uma resposta minha não deu nada):

 

- Então e tu ias dar-me uma prenda? 

- Ia...

- E ias dar-me o quê?

- Não sei, se calhar uma peça para a Pandora.

 

Hum... Estou confusa. Uma conta da Pandora não é uma jóia?! 

Presente envenenado - parte 2

Mas que raio de presente te ofereceu o teu ex? É a pergunta que se impõe e que não vos deve ter permitido ter uma noite de sono reparadora.

Uma pulseira com o símbolo de um trevo de quatro folhas. 

 

Estranhei o presente e decidi perguntar-lhe a razão de ele me ter oferecido tal coisa. Segundo ele não havia razão nenhuma, apenas me quis oferecer um presente como amigos.

 

Como amigos... Diz ele... A única coisa que até então me tinha oferecido tinha sido um mealheiro da loja dos 300 que ainda vinha com uma etiqueta laranja a marcar 7,5€. E agora vai a uma joalheira comprar-me uma pulseira? Na... Não havia amizade nenhuma por detrás daquilo. 

 

E a parte mais engraçada é que quatro dias depois estaria de malas aviadas para ir a Barcelona passar a passagem de ano com a outra gaja. Basicamente enfiava-me a pulseira no pulso e a pila na xaroca da outra, tudo na mesma semana. Nota: já tinha saudades da palavra xaroca! 

 

Devolvi-lhe o presente. Não acredito em energias e coisas do género, mas a verdade é que aquilo me dava náuseas. Não conseguia olhar para a pulseira e muito menos usá-lá. Disse-lhe que agradecia o gesto de amizade, mas que apenas faria sentido se fôssemos amigos, porque um amigo não mente e manipula outro. Perguntei ainda se ele ofereceu uma jóia a todas as amigas e se a gaja com quem anda sabe que ele me ofereceu o presente. Ao que parece o meu discurso e as minhas questões incomodaram-no ao ponto de se descontrolar, gritar, ameaçar e fazer a pulseira voar. Pelos vistos é assim que os amigos de comportam...

 

Na noite de passagem de ano enviou carinhosamente uma foto com a gaja... 

Afinal a doida que faz filmes estava certa: quanto ao facto de ele andar com a outra e quanto ao carácter dele...

 

Façamos um minuto de silêncio por cada homem que teve o azar de encontrar uma mulher inteligente pela frente... 

 

 

Presente envenenado - parte 1

Já partilhei convosco que o meu ex me ofereceu um presente de Natal, o que ainda não vos contei foram as circunstâncias em que isso ocorreu.

 

Tínhamos vindo a falar nos últimos meses. E enquanto conversa puxa conversa eu percebi, através das redes sociais, que ele (que nunca tinha viajado) teria ido a Barcelona.

Durante os dias que antecederam a viagem falou comigo, falou comigo todos os dias em que lá esteve e estivemos juntos 4 dias depois de ter voltado. Alguma vez me contou alguma coisa? Não...

Quando estivemos juntos falei da minha última viagem, perguntei por novidades e nada.

Sem certezas de que, de facto, ele teria viajado continuei na minha vida. Até que as identificações dos amigos relativas à viagem começaram a aparecer. E identificações de uma gaja... Em fotos agarrados, lindo para cá, lindo para lá em comentários, identificações em lugares que a encantam com ele, referências a poucas horas de sono...

 

E eu mantive-me na minha vidinha...

Até que saímos juntos e eu lhe perguntei porque me omitiu a viagem a Barcelona e se tinha alguma coisa a ver com a gaja que ele lá andava a comer.

A conversa que se seguiu teve como objectivo não responder à minha questão, mas sim fazer-me sentir má pessoa. Uma dissimulada que já sabia que ele tinha ido e fez joguinhos para que ele me contasse. Uma falsa que o convidou para um café apenas para lhe tentar sacar coisas enquanto ele pensava que nos podíamos acertar. Mas não, comigo não dá, ele achava que eu tinha mudado mas afinal contínuo igual... (uma gaja inteligente que não se deixa enganar?! - pergunto eu) E porquê que ele não me contou? Porque não veio a propósito... Pelos vistos perguntar a alguém se viajou nos últimos tempos não cria propósito para que a pessoa diga que sim... Quanto à gaja não se passava nada, e ele não faz a mais  pequena ideia do porquê de ela ter publicado tais coisas no facebook. Provavelmente porque tem 40 anos, um filho e está desesperada por arranjar homem. Mas pelo sim, pelo não, nesse mesmo dia ele removeu as identificações do facebook num gesto nada suspeito!

 

Devo confessar que esta capacidade de manipulação me deixou atónita.  Fiquei tão comovida com o discurso dele que tive vontade de o abraçar e pedir desculpa por lhe ter feito tanto mal... Mas aguentei-me! 

 

E o que é que eu fiz? Nada. Continuei na minha vidinha. Até que ele me aparece à porta, na noite de Natal, com um presente...

 

To be continued... 

Maldita mania do apego

Decidi despedir-me do meu telemóvel no início deste ano. Também tentei despedir-me da pobreza, mas ao que parece a nossa relação, tal como a música da Carolina Deslandes, é para a vida toda.

 

Depois de muita análise financeira, comparações entre modelos e opiniões de especialistas lá me decidi quanto ao modelo a comprar. Se todas as minhas escolhas fossem tão ponderadas como esta eu não fazia metade das merdas que faço nesta vida. 

 

Após ter decido, e enquanto não chegava a hora de sair de casa para ir à piscina, fui à página da Vodafone para perceber o que precisava fazer para comprar o telemóvel usando os pontos do Clube Viva. Fui seguindo os passos e quando dei por mim estava a receber uma mensagem a confirmar a recepção da minha encomenda! Não foram precisos dados pessoais ou bancários, nem sequer autorização do titular de conta. Quando dei por mim tinha um telemóvel a caminho! 

 

A parte boa é que finalmente percebi porquê que as velhotas vão para a piscina meia hora antes da aula... Ao que parece isso evita que se gaste dinheiro! 

 

Devido a este incidente terei o meu telemóvel antes do que tinha previsto, supostamente estará cá já amanhã, e eu estou a viver um misto de emoções. Por um lado vou ter um telemóvel cuja bateria vai durar mais de 3 horas (pelo menos durante algum tempo), que não vai bloquear constantemente e nem demorar uma eternidade para abrir uma página. Por outro lado vou despedir-me do meu companheiro de quase 5 anos.

 

Durante estes anos muitas foram as viagens em que me acompanhou, as fotos que ele tirou, concertos que gravou. Foram horas de conversas e milhares de mensagens trocadas. Fez parte dos melhores momentos da minha vida. Ri muito e disse muita palermice. Ele esteve sempre a acompanhar-me (e a minha mãe pode confirmar que isto é verdade!!). Agora chegou a hora de me despedir.

 

Eu sei, é só um telemóvel. Mas eu apego-me. Apego-me às coisas, às pessoas. E mesmo sabendo que algo melhor virá, por vezes, é difícil desapegar-me do que tenho.

Isto é válido para telemóveis e para pessoas...

Gajos que me aparecem...

Às vezes (muitas vezes, na verdade) perguntam-me como é possível estar solteira. A pergunta é geralmente feita com aquele tom de crítica que sugere que não faltam por aí homens, eu é que sou uma esquisitinha.

 

Poderia responder à pergunta de várias formas, hoje escolhi fazê-lo através de um print do meu Instagam.  

 

image.jpg

 

Estão a perceber porque estou solteira?!

A Tininha da blogosfera

No final do ano, Cristina Ferreira brindou os seus seguidores com uma foto sua nas Maldivas com a legenda "só para acordarem com esta vista ".

Não sei se ela terá chegado a perceber que quem acordou com aquela vista foi ela... os outros só viram uma foto a meter nojo. É mais ou menos a mesma coisa que eu ir à Etiópia mostrar uma foto minha a comer um belo bife do lombo. A diferença é que nos países de terceiro mundo, apesar da subnutrição, as pessoas têm cérebro e seria provável que me mandassem à merda... Em Portugal os comentários dividiram-se entre os que lhe desejaram boas férias e os que criticaram o seu ordenado milionário, sendo que qualquer um dos grupos ajudou a financiar as ditas férias! Mas acho que também ninguém percebeu isso...

 

Onde é que eu quero chegar com isto? Vocês podiam fazer de mim a Tininha da blogosfera. O que é que têm de fazer? Simples! É só ler o meu blogue milhentas vezes, partilhá-lo outras tantas, comentar, comentar muito, comentar os comentários dos comentários e partilhar mais umas vezes. Quando eu já tiver patrocínios só têm de comprar em barda os produtos/serviços que eu publicitar, o mesmo se aplica a quando eu lançar a minha própria marca.

 

Quando eu tiver dinheiro para fazer uma viagem às Maldivas eu prometo-vos que tiro muitas fotos. Dou aqui a minha palavra de honra em que posto aí umas dez fotos por dia para vocês invejarem bem as minhas férias. E mais, eu vou mais longe que a Cristina Ferreira e ainda trago um íman a cada um para porem no frigorifico.

 

Que tal? Parece-vos bem?  

Não? Mas porque não?

Tinhosos... Os seguidores da Tininha é que são fixes... 

Estatísticas do blogue

Diz o meu querido Sapo, e se ele diz eu acredito, que 90% dos meus leitores são mulheres, sendo que os restantes 10% são homens.

 

Ora o que as estatísticas não mostram é que muito provavelmente desses 10% cinco são gays, quatro são gajos que me querem saltar à espinha e depois há aquele um por cento que veio cá parar por engano. Tenho ainda de incluir o meu pai, leitor assíduo do meu blogue, que não se enquadra em nenhuma das categorias anteriores e que cada vez que lê o que escrevo deve questionar a qualidade dos seus espermatozóides. Se o meu supostamente era o melhor imaginem os outros... 

 

Inicialmente surpreendeu-me que tão poucos homens lessem o meu blogue, mas depois fez sentido. Afinal ninguém gosta de receber críticas, né? Essa é uma das razões pelas quais eu evito socializar e provavelmente será uma das razões pelas quais os homens evitam ler o meu blogue! Mas fazem mal, têm aqui um belo manual de merdas que não devem fazer se quiserem ter mulher...

Estou muito desiludida com o Senhor Presidente

Ontem estive doente, mal me conseguia manter em pé.

A parte boa da doença foi que me obrigou a uma dieta detox que, depois das festas de final de ano, deu muito jeito. Passei o dia a líquidos e mesmo esses o meu estômago não aceitava. Foi um dia difícil para alguém que gosta de comer! 

 

Passei o dia na cama, a ver tudo o que é lixo televisivo, à espera que Marcelo Rebelo de Sousa me mandasse uma canjinha de galinha, uma embalagem de Buscopan ou que fizesse, pelo menos um telefonema, para me desejar as melhoras. Mas não. Ele considerou a estreia da Cristina na SIC uma desgraça maior que a minha doença.

Prioridades... 

Motivos para não querer ter uma relação

Não querer ter um relacionamento amoroso é já uma premissa do século XXI. 

Numa era de sexo fácil, muito individualismo egocentrismo poucos são aqueles que estão dispostos a assumir um compromisso com outra pessoa. 

 

Contudo, estas não são razões bonitas de serem enumeradas quando se justifica que se quer estar solteiro. Assim, para camuflar os verdadeiros motivos de não querer uma relação, o pessoal esforçar-se por encontrar outras razões. Julgo até que alguns deles chegam mesmo a acreditar nelas...

 

A última que ouvi até causou, por breves instantes, uma interrupção das minhas sinapses.

Estava eu a meio de uma conversa com um gajo quando ele diz: "eu não quero uma relação neste momento, tenho outros objectivos, outras prioridades. Quero comprar uma mota. Quero organizar a minha vida, ter a minha motinha e só depois penso nisso." 

 

E foi assim, com esta frase, que me despedi de mais alguns neurónios. Espero que tenham ido para um sítio melhor...

 

Então Sara, e não perguntaste o que tinha a mota a ver com ter uma relação? Não e os meus outros neurónios agradeceram...