Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

saracasticamente

Maldita mania do apego

Decidi despedir-me do meu telemóvel no início deste ano. Também tentei despedir-me da pobreza, mas ao que parece a nossa relação, tal como a música da Carolina Deslandes, é para a vida toda.

 

Depois de muita análise financeira, comparações entre modelos e opiniões de especialistas lá me decidi quanto ao modelo a comprar. Se todas as minhas escolhas fossem tão ponderadas como esta eu não fazia metade das merdas que faço nesta vida. 

 

Após ter decido, e enquanto não chegava a hora de sair de casa para ir à piscina, fui à página da Vodafone para perceber o que precisava fazer para comprar o telemóvel usando os pontos do Clube Viva. Fui seguindo os passos e quando dei por mim estava a receber uma mensagem a confirmar a recepção da minha encomenda! Não foram precisos dados pessoais ou bancários, nem sequer autorização do titular de conta. Quando dei por mim tinha um telemóvel a caminho! 

 

A parte boa é que finalmente percebi porquê que as velhotas vão para a piscina meia hora antes da aula... Ao que parece isso evita que se gaste dinheiro! 

 

Devido a este incidente terei o meu telemóvel antes do que tinha previsto, supostamente estará cá já amanhã, e eu estou a viver um misto de emoções. Por um lado vou ter um telemóvel cuja bateria vai durar mais de 3 horas (pelo menos durante algum tempo), que não vai bloquear constantemente e nem demorar uma eternidade para abrir uma página. Por outro lado vou despedir-me do meu companheiro de quase 5 anos.

 

Durante estes anos muitas foram as viagens em que me acompanhou, as fotos que ele tirou, concertos que gravou. Foram horas de conversas e milhares de mensagens trocadas. Fez parte dos melhores momentos da minha vida. Ri muito e disse muita palermice. Ele esteve sempre a acompanhar-me (e a minha mãe pode confirmar que isto é verdade!!). Agora chegou a hora de me despedir.

 

Eu sei, é só um telemóvel. Mas eu apego-me. Apego-me às coisas, às pessoas. E mesmo sabendo que algo melhor virá, por vezes, é difícil desapegar-me do que tenho.

Isto é válido para telemóveis e para pessoas...

15 comentários

Comentar post