Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Pergunta do momento

Então Sara, o que é que respondeste à mensagem do teu ex? - É a pergunta que mais me têm feito ultimamente. 

 

Foram várias as hipóteses que estiveram em cima da mesa:

 

Hipótese A - dizer que uma imagem vale mais que mil palavras e reenviar a foto que ele e a outra gaja simpaticamente me enviaram na passagem de ano. 

Hipótese B - responder apenas ok.

Hipótese C - reencaminhar a mensagem para a gaja.

 

Contudo, com o tempo, uma hipótese D foi ganhado terreno: não responder nada.

Pela primeira vez na vida não respondi com sarcasmo. Porque não há sarcasmo que chegue para traduzir o que sinto nesta situação. 

Não sei se estou a perder qualidades, ou se estou a tornar-me crescida ou se, desta vez, me partiram o coração à séria...

 

Quando o ex manda mensagem - parte 4

Eu não disse que o fim-de-semana ia passar depressa?!

Espero que tenham conseguido controlar a ansiedade em saber o final da mensagem. Como prometido aqui está ele:

 

Cruzo me na rua com carro igual ao teu e procuro o rosto do condutor ver se és tu? Quando tudo o que queria era te esquecer Sara.

 

Aqui está uma incontestável prova da sua falta de interesse. Se soubesse a matrícula do carro não precisava de andar a olhar para as pessoas, saberia logo que não era o meu carro. Mas não, ao fim de quase três anos não sabe a matrícula do carro.

Infelizmente a minha morada ainda sabe (mas isso são cenas para os próximos capítulos).

 

 

Sinto falta do teu olhar quando me pedias que te desse um abraço...tinhas razão, eras a mulher da minha vida, ninguém entrou no meu coração do jeito que tu fizeste, ninguém teve o poder que tu tiveste sobre ele,de o bagunçar como tu, mexer comigo do jeito que tu o fazias...foste sem duvida a mulher mais marcante da minha vida

 

Reparem bem no tempo verbal "eras a mulher da minha vida". Já não sou. Provavelmente quando ele começou a escrever a mensagem ainda era, mas demorou tanto tempo a escrever que deixei de ser. Ele sempre foi um gajo que muda de ideias muito rápido. 

 

e por isso tudo, por tudo que me ensinaste, me mostraste,por tantos momentos de amor intenso e arrebatadores desejo que encontres teu caminho a direito, que a felicidade esteja sempre no teu olhar, sei que apesar de todo essa pose de cabra que usas para te proteger do mundo és uma mulher com enorme coração, uma mulher delicada, sensível e que precisa de amor, muito amor.

 

Hum... Ele não tinha dito, no início da mensagem, que não me ia insultar?! Ia jurar que sim... Ah, sim, disse! Mas entre o que ele diz e o que faz há uma distância maior do que Porto-Barcelona.  

 

Continua linda e maravilhosa (querida e fofa como tu dizias) e nunca permitas que o ódio e desejo de vingança destruam teu coração...desculpa mas precisava fazer isto,encontrarás sempre alguém melhor do que eu.

 

Aaaahhhh!! Agora sim, percebi a razão da mensagem. O moço tem visto nas notícias vários casos de violência doméstica e está com medo de ser uma das próximas vítimas, daí este apaziguar do meu ódio e desejo de vingança. Podia ter dito logo! Poupava-me a mim e à língua portuguesa, que nenhuma de nós merecia isto.

Apesar de todas as tretas que ele escreveu aproveitou-se, pelo menos, a última frase, a única verdade de todo o texto: eu mereço melhor. 

Quando o ex manda mensagem - parte 3

E porque não há duas sem três, eis a terceira parte da mensagem obra literária que o gajo escreveu:

 

Mas porque tem sempre de exirtir dor no amor, porque ficamos com receios, medo? Não entendia porque nos fimes e todos os livros que via e lia de amor nunca eram histórias constantes de amor, havia sempre esses caminhos tortuosos a percorrer, toda uma montanha russa num caminho que entendia ser só de felicidade. Nunca entendi a dor no amor,agora entendo, fui um privilegiado por viver esse nobre sentimento e agradeço te por isso.

 

Ora, é o que dá ver muita televisão... Por estas e por outras é que a SIC acabou com os filmes ao domingo à tarde. Que adianta ver filmes e ler livros se não se entende? Acho que o problema é ele ler em português, ao que parece o espanhol é uma língua que ele domina muito melhor...

Quanto à ultima frase, ou é de mim ou ele agradeceu-me por termos tido uma relação de merda?

 

veio a razão quis te esquecer, deixar te atrás na minha história, arrumar te num qualquer canto da minha vida, mas porque raio não consigo? Porque mexes tu tanto comigo?

 

Veio a razão? Eu ia jurar que a gaja se chama Vanessa... Deve estar a falar de outra que meteu na cama antes dessa, é difícil acompanhar a vida sexual de um gajo com excesso de ego...

Quanto à questão da arrumação, é de estranhar que ele esteja com esta dificuldade. Quando namoravámos ele nunca teve problemas em arrumar-me a um canto... Alguém que lhe diga que o IKEA tem óptimas soluções a preços acessíveis. Há duas lojas em Barcelona, não há razão para ele não saber disto. 

 

Porque só os momentos que vivo contigo me invadem a mente e as recordações de ti, dos teus beijos me surgem do nada? Porque sinto tanta falta das tuas mensagens? Das tuas palavras? Do teu "porque efectivamente"?

 

Com a primeira frase o que ele quer mesmo dizer é que a gaja não é lá grande coisa na cama. Mas, qual Saramago, ele arranjou forma de adornar a coisa.

Mas acreedito que ele sinta a falta das minhas mensagens, certamente ele sente falta de as ignorar para poder alimentar ainda mais o ego, o pobrezinho deve andar desnutrido. E também acredito que ele sinta falta de me ouvir dizer efectivamente, até porque até me conhecer ele nunca tinha estado com uma mulher que conseguisse dizer uma palavra que tivesse mais do que cinco silabas.

 

E como é que a mensagem termina? Terão de esperar até segunda!

Não se apoquentem que o fim-de-semana passa a correr...

Quando o ex manda mensagem - parte 2

Gostaram do post de ontem? Espero que sim porque hoje tem continuação.

Apertem os cintos...

 

...mal eu sabia tudo o que me ias fazer, o que ias fazer com o meu coração, que o ias trazer de volta e fazer com que ele batesse de novo com tanta intensidade como um adolescente a descobrir o amor pela primeira vez...e sabes, foi isso que estava acontecer, estava a descobrir o amor pela primeira vez, nunca em toda a minha vida o meu coração tinha experimentado tanta intensidade como quando descobriu o teu coração, te ia descobrindo a ti...

 

Bom, aqui há que dar algum mérito ao rapaz. Ele finalmente fez referência à sua idade cronológica, há que valorizar as pequenas vitórias.

Quanto a isso do coração bater com muita intensidade não é amor, pode ser hipertensão, anemia... o melhor mesmo é ser visto por um médico, nunca devemos confiar nos diagnósticos do google.

 

...mas não entendia o porque sempre desta relação ódio/amor que tínhamos, porquê de tudo ser tão complicado, o porque de tu tornares tudo tão difícil para mim e eu para ti, porque não fomos capazes de ir sempre pelo caminho mais simples e a direito...porque? 

 

Eu? Eu tornei as coisas difíceis? Ia jurar que tinham sido os amigos, o ginásio, os amigos do ginásio, o trabalho, os colegas do trabalho, os treinos de futsal, os jogos de futsal, os jogos do Porto, as outras gajas... Mas afinal fui eu... Vou só ali chicotear-me um bocadinho antes de continuar...

 

Descobri que te amava quando fomos aquele hotel em Bragança, no momento em que estavas na cama, sem base e pinturas, so tu, teus óculos e um livro...imagem que me fascinou...e logo ali percebi que era amor, tudo simples...eu, tu na forma mais simples que alguém podia estar, podia ser uma tenda de campismo, num qualquer quarto de bairro social da cidade que aquele momento teria sempre o mesmo impacto em mim...só tinhas de ser tu ali.

 

Ora gasta uma pessoa uma fortuna em maquilhagem para depois ler uma coisa destas... Será a minha base YSL que me está a impedir de encontrar o amor? 

E desculpem lá a minha falta de humildade, mas vou aproveitar esta deixa para me vangloriar um bocadinho. Vocês alguma vez receberam uma declaração de "amor" que continha as palavras bairro social? Receberam? Não?! Quem arranja homens românticos, quem é?! Sintam a inveja...  

 

Se acham que isto já acabou estão muito longe da verdade. Se ainda não estiverem enfadados voltem que amanhã há mais. 

O blog desgraçou-me a vida

O título parece dramático, mas vocês já vão perceber.

 

Já conhecia o meu ex, contudo foi através do blog que nos aproximamos. Ele lia o blog, comentava, trocávamos ideias, até que passamos a trocar também fluídos corporais.

Eu apaixonei-me por ele (só me apaixono pelo que não presta) e disse-lhe o que sentia. Ele disse que não sentia o mesmo e que não queria uma relação. Segui com a minha vida.

 

Uma noite estava com uma amiga, que conheci através do blog, e no momento em que ela me perguntava pelo espécime recebi uma mensagem dele. Afinal gostava de mim e queria namorar comigo, só estava com medo (eu devo ser mesmo assustadora). Eu fui na conversa e tivemos uma bela merda de uma história de amor.

 

Terminamos, seguimos as nossas vidas e eu já quase que não me lembrava que ele existia. Até que fui lanchar com uma amiga que também conheci através do blog. Ela pergunta pela minha vida amorosa (como se ela existisse) e eu inevitavelmente tive de me lembrar e falar do ser humano. Cerca de uma hora depois ele envia mensagem. 

 

Isto parece-me um claro sinal que não devo socializar com pessoal da blogosfera... Ou com pessoal no geral... 

A independência dos Açores

A televisão portuguesa apostou tudo no amor e já não há desculpas para os solteiros deste país continuarem solteiros. A não ser pelo facto das pessoas serem completamente desinteressantes... Mas isso são pormenores!

 

No First Dates, da última sexta, uma concorrente explica ao seu date que já esteve em três países: Itália, Madrid e Açores. Ele até foi fofo e deu-lhe uma oportunidade de pensar melhor na palermice que tinha acabado de dizer e perguntou: "3 países?! Mas isso só são 2!". Ela não só não agarrou a bóia salva-vidas como ainda se afundou mais e repetiu a lista de países, mas desta vez usando os dedos para acompanhar a contagem como se o gajo fosse muito burro e não soubesse contar até três.

O gajo a esta altura do campeonato já deveria ter percebido que aquele não era um bom exemplar para reprodução, mas continuou: "então são dois! Açores é Portugal, é o nosso país." Ela mostra um ar de choque. Não sei se foi por ter descoberto que Açores é Portugal ou se foi por ter descoberto que Portugal é o nosso país. Eu ainda lhe dei o benefício da dúvida porque quando fui aos Açores, e ouvi os açorianos a falar, também pensei que estivesse noutro país... Mas o benefício acabou quando ela responde "sim, mas fui de avião".

Portanto na cabeça dela quando andamos de avião vamos para outro país.

 

Caso um dia a moçoila resolva aproveitar uma promoção da Ryanair e fazer Porto-Lisboa dá-se a independência do Porto.

Depressão de São Valentim

Para mim o dia dos namorados é um dia como outro qualquer. Quer esteja solteira ou numa relação não o celebro. 

 

O ano passado passei a noite com a minha Valentim - a minha afilhada emprestada. E não, não é uma alusão à data, é mesmo o apelido dela! 

 

A miúda estava triste porque tinha terminado pouco tempo antes com o namorado e eu, como boa madrinha que sou, passei a noite com ela para a animar.

Mas a minha função de animadora começou ainda durante o dia quando ela publicou uma instastorie que dizia "dia 14 nem vou entrar no insta, tudo in love e eu in merda"

 

Screenshot_20190213-232818_Photos.jpg

 

Como podem ver eu sou óptima a animar pessoas e elas têm muita sorte por me ter na vida delas! 

Até as vacas já têm Tinder

E quando digo vacas refiro-me ao mamífero, caso contrário não seria notícia.

 

No Reino Unido foi lançado um aplicativo chamado Tudder (qualquer semelhança com Tinder é pura coincidência) que permite que vacas e bois encontrem o seu par ideal para reprodução.

Segundo o gajo que se lembrou disto, o aplicativo "procura unir animais de fazenda tímidos com suas almas gémeas".

 

Neste momento, algures no Reino Unido, uma vaca e um boi estão a encontrar o amor enquanto que eu continuo solteira... 

Os homens bonitos são gays?!

Quando somos solteiros todos os amigos comprometidos nos tentam arranjar par. 

 

Há uns meses uma amiga disse que o marido tinha um tipo que trabalhava com ele que era jeitoso para mim. Percebi logo de quem ela falava, porque eu já lhe tinha posto os olhinhos, e adiantei que ele seria gay. Ela ficou incrédula e pouco convencida com o meu forte argumento "se eu gostei dele é gay". Sendo ela psicóloga, fui logo acusada de estar a criar bloqueios e crenças negativas. 

 

Recentemente ela surge com a seguinte conversa:

 

- Olha... Sabes o rapaz que te falei? No outro dia vi o facebook dele e ele aparece numa foto com uma bandeira gay. Achas que ele é gay?

- Naaaaooo!! Isso não quer dizer nada... - respondo eu de forma irónica.

- E diz lá que tem interesse em vídeos gay e tv gay. Tu achas mesmo que ele é gay?

- A seguir vais dizer-me que viste uma foto dele a dar um beijo na boca a um gajo e perguntar se ele é gay?!

- Opa... Mas os gajos bonitos são todos gays?!

 

Felizmente não, alguns são feios.

Mas infelizmente os homens que me aparecem pela frente ou são gays, ou ainda não sabem que são gays. E depois ainda há aqueles, que vieram de outro planeta, que me dizem que sou bonita porque como coisas boas.

É este o mercado... 

 

Vingança geracional

Quem nunca foi a casa da avó e se viu obrigado a comer até rebolar? Pois eu fui uma dessas vítimas. Não importava a hora do dia, era impossível sair de casa da minha avó sem comer.

 

- Queres uma costeleta? - perguntava ela.

- Oh avó, são 4 da tarde!

- Um iogurtezinho então?

- Não tenho fome!

- Já estou a abrir, agora tens de comer. Vou descascar-te também uma maçã.

 

Toda uma infância marcada pela violência alimentar! 

Recentemente a minha avó sofreu um AVC e tornou-se dependente. Este fim-de-semana ela passou uma tarde em minha casa e foi a minha oportunidade de me vingar! 

 

- Avó, está na hora de lanchares. Faço-te um pãozinho com queijo?

- Não meu rico filho, não quero nada.

- Pronto, então dois pãezinhos com queijo?

- Ui! Não!

- Dois pãezinhos com queijo e uma bananinha! Já estou a fazer... 

 

O excesso de comida a que foi sujeita foi partilhado com as habitantes de quatro patas de cá de casa que, como devem calcular, ficaram fãs dela!

 

- Oh avó, então eu fiz o lanche para ti com tanto amor e carinho e tu estás a dar às cadelas?

- Mas eu também lhes estou a dar com muito amor e carinho. - respondeu ela. 

 

Demorei alguns anos a perceber que a comida às vezes, não é apenas comida, é um acto de amor...