Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Um espelho é sempre um bom presente

Se há coisa que me tira do sério (na verdade há muitas, mas não vamos agora enumerar) é enviar uma mensagem a alguém e a pessoa não me responder. Quando é mensagens com conversa da treta ainda é naquela, mas quando é algo importante fico possuída. 

 

Um dos muitos postais que cruzaram a minha vida de vez em quando ignorava as minhas mensagens. Disse-lhe algumas vezes que não gostava disso, ele pedia desculpa, mas voltava a fazer.

 

Um belo dia (por acaso até estava de chuva) passei-me da marmita e, após ele me ter deixado mais uma vez no vácuo, fiz-lhe o mesmo. Ele bem que mandou mensagens para o Messenger, para o telemóvel, ligou... Mas eu deixei-o provar do próprio veneno.

E mesmo percebendo que eu não iria responder ou atender as chamadas ele continuou a enviar mensagens. O conteúdo dessas mensagens é fabuloso. Temos frases como "eu não gosto que me ignorem, não lido bem com isso", "não sei porque me estás a ignorar, mas só para que saibas comportamento gera comportamento", entre outras deste género.

 

É curioso que o moçoilo não goste de ser ignorado, mas goste de ignorar. É curioso que o moçoilo, quando se trata dele, perceba que comportamento gera comportamento, mas não perceba que o comportamento dele também gera comportamentos nos outros. É curioso que ele não perceba que há outras pessoas no planeta para além dele e do ego dele. 

 

O aniversário dele está próximo, estou a pensar abrir tréguas e oferecer-lhe um presente: um espelho. Mas tenho receio que ele ache que o espelho só serve para contar os cabelos brancos que já tem na cabeça...

Perguntas que não se fazem a uma senhora

Tenho 30 e poucos (pouquíssimos) anos. Fisicamente parece que ainda estou nos 20, mentalmente parece que ainda não saí da adolescência.

 

Devido à minha aparência, uma pergunta que ultimamente tenho ouvido com alguma frequência é se já fiz alguma cirurgia estética. Esta pergunta surge nas mais variadíssimas versões (cada uma melhor que a outra) como tens tudo de origem ou és recauchutada. 

 

Da mesma forma que se instituiu que não se deve perguntar a idade a uma senhora não se deveria também instituir que não se deve perguntar a uma senhora se fez cirurgias plásticas?

Eu juro que da próxima vez que me perguntarem essa merda vou responder que para além da mudança de sexo não fiz mais nenhuma... 

Quando uma gaja paga os seus próprios rissóis

Ontem fui almoçar com uma amiga. Por sugestão dela fomos ao restaurante onde o gajo dos rissóis me levou uma vez. Sim, eu apelido todos os gajos com quem saio. Este bem que podia ser o gajo demasiado imaturo para saber o que quer da vida, mas era muito extenso e abreviei para gajo dos rissóis.

 

Como fui almoçar com um amiga pude comer o rissol que bem me apeteceu.  Mas fui eu que o paguei... Bem como o resto das coisas que comi.

 

Enquanto dividíamos a conta, por momentos, já não me pareceu tão mau que o gajo tivesse comido o rissol maior. Mas depois lembei-me que sou uma mulher independente e que não precisa de homens para lhe pagar refeições e passou-me.  

 

#foreveralone 

 

Os homens bonitos são gays?!

Quando somos solteiros todos os amigos comprometidos nos tentam arranjar par. 

 

Há uns meses uma amiga disse que o marido tinha um tipo que trabalhava com ele que era jeitoso para mim. Percebi logo de quem ela falava, porque eu já lhe tinha posto os olhinhos, e adiantei que ele seria gay. Ela ficou incrédula e pouco convencida com o meu forte argumento "se eu gostei dele é gay". Sendo ela psicóloga, fui logo acusada de estar a criar bloqueios e crenças negativas. 

 

Recentemente ela surge com a seguinte conversa:

 

- Olha... Sabes o rapaz que te falei? No outro dia vi o facebook dele e ele aparece numa foto com uma bandeira gay. Achas que ele é gay?

- Naaaaooo!! Isso não quer dizer nada... - respondo eu de forma irónica.

- E diz lá que tem interesse em vídeos gay e tv gay. Tu achas mesmo que ele é gay?

- A seguir vais dizer-me que viste uma foto dele a dar um beijo na boca a um gajo e perguntar se ele é gay?!

- Opa... Mas os gajos bonitos são todos gays?!

 

Felizmente não, alguns são feios.

Mas infelizmente os homens que me aparecem pela frente ou são gays, ou ainda não sabem que são gays. E depois ainda há aqueles, que vieram de outro planeta, que me dizem que sou bonita porque como coisas boas.

É este o mercado... 

 

Prendas de amigos

Após ter recebido o meu presente envenenado comentava com um gajo a situação:

 

- Tu que és gajo diz-me: achas que uma pulseira é um presente de amigo? - perguntei eu.

-  Não. Uma jóia não é um presente de amigo. Nenhum homem vai a uma ourivesaria comprar uma prenda para uma amiga.

 

A conversa continuou e a dada altura eu pergunto o que é que ele me iria dar no Natal se não tivesse feito birra (ele já tinha referido que me iria dar um presente mas como ficou amuado com uma resposta minha não deu nada):

 

- Então e tu ias dar-me uma prenda? 

- Ia...

- E ias dar-me o quê?

- Não sei, se calhar uma peça para a Pandora.

 

Hum... Estou confusa. Uma conta da Pandora não é uma jóia?! 

Presente envenenado - parte 2

Mas que raio de presente te ofereceu o teu ex? É a pergunta que se impõe e que não vos deve ter permitido ter uma noite de sono reparadora.

Uma pulseira com o símbolo de um trevo de quatro folhas. 

 

Estranhei o presente e decidi perguntar-lhe a razão de ele me ter oferecido tal coisa. Segundo ele não havia razão nenhuma, apenas me quis oferecer um presente como amigos.

 

Como amigos... Diz ele... A única coisa que até então me tinha oferecido tinha sido um mealheiro da loja dos 300 que ainda vinha com uma etiqueta laranja a marcar 7,5€. E agora vai a uma joalheira comprar-me uma pulseira? Na... Não havia amizade nenhuma por detrás daquilo. 

 

E a parte mais engraçada é que quatro dias depois estaria de malas aviadas para ir a Barcelona passar a passagem de ano com a outra gaja. Basicamente enfiava-me a pulseira no pulso e a pila na xaroca da outra, tudo na mesma semana. Nota: já tinha saudades da palavra xaroca! 

 

Devolvi-lhe o presente. Não acredito em energias e coisas do género, mas a verdade é que aquilo me dava náuseas. Não conseguia olhar para a pulseira e muito menos usá-lá. Disse-lhe que agradecia o gesto de amizade, mas que apenas faria sentido se fôssemos amigos, porque um amigo não mente e manipula outro. Perguntei ainda se ele ofereceu uma jóia a todas as amigas e se a gaja com quem anda sabe que ele me ofereceu o presente. Ao que parece o meu discurso e as minhas questões incomodaram-no ao ponto de se descontrolar, gritar, ameaçar e fazer a pulseira voar. Pelos vistos é assim que os amigos de comportam...

 

Na noite de passagem de ano enviou carinhosamente uma foto com a gaja... 

Afinal a doida que faz filmes estava certa: quanto ao facto de ele andar com a outra e quanto ao carácter dele...

 

Façamos um minuto de silêncio por cada homem que teve o azar de encontrar uma mulher inteligente pela frente... 

 

 

Presente envenenado - parte 1

Já partilhei convosco que o meu ex me ofereceu um presente de Natal, o que ainda não vos contei foram as circunstâncias em que isso ocorreu.

 

Tínhamos vindo a falar nos últimos meses. E enquanto conversa puxa conversa eu percebi, através das redes sociais, que ele (que nunca tinha viajado) teria ido a Barcelona.

Durante os dias que antecederam a viagem falou comigo, falou comigo todos os dias em que lá esteve e estivemos juntos 4 dias depois de ter voltado. Alguma vez me contou alguma coisa? Não...

Quando estivemos juntos falei da minha última viagem, perguntei por novidades e nada.

Sem certezas de que, de facto, ele teria viajado continuei na minha vida. Até que as identificações dos amigos relativas à viagem começaram a aparecer. E identificações de uma gaja... Em fotos agarrados, lindo para cá, lindo para lá em comentários, identificações em lugares que a encantam com ele, referências a poucas horas de sono...

 

E eu mantive-me na minha vidinha...

Até que saímos juntos e eu lhe perguntei porque me omitiu a viagem a Barcelona e se tinha alguma coisa a ver com a gaja que ele lá andava a comer.

A conversa que se seguiu teve como objectivo não responder à minha questão, mas sim fazer-me sentir má pessoa. Uma dissimulada que já sabia que ele tinha ido e fez joguinhos para que ele me contasse. Uma falsa que o convidou para um café apenas para lhe tentar sacar coisas enquanto ele pensava que nos podíamos acertar. Mas não, comigo não dá, ele achava que eu tinha mudado mas afinal contínuo igual... (uma gaja inteligente que não se deixa enganar?! - pergunto eu) E porquê que ele não me contou? Porque não veio a propósito... Pelos vistos perguntar a alguém se viajou nos últimos tempos não cria propósito para que a pessoa diga que sim... Quanto à gaja não se passava nada, e ele não faz a mais  pequena ideia do porquê de ela ter publicado tais coisas no facebook. Provavelmente porque tem 40 anos, um filho e está desesperada por arranjar homem. Mas pelo sim, pelo não, nesse mesmo dia ele removeu as identificações do facebook num gesto nada suspeito!

 

Devo confessar que esta capacidade de manipulação me deixou atónita.  Fiquei tão comovida com o discurso dele que tive vontade de o abraçar e pedir desculpa por lhe ter feito tanto mal... Mas aguentei-me! 

 

E o que é que eu fiz? Nada. Continuei na minha vidinha. Até que ele me aparece à porta, na noite de Natal, com um presente...

 

To be continued... 

Gajos que me aparecem...

Às vezes (muitas vezes, na verdade) perguntam-me como é possível estar solteira. A pergunta é geralmente feita com aquele tom de crítica que sugere que não faltam por aí homens, eu é que sou uma esquisitinha.

 

Poderia responder à pergunta de várias formas, hoje escolhi fazê-lo através de um print do meu Instagam.  

 

image.jpg

 

Estão a perceber porque estou solteira?!

Motivos para não querer ter uma relação

Não querer ter um relacionamento amoroso é já uma premissa do século XXI. 

Numa era de sexo fácil, muito individualismo egocentrismo poucos são aqueles que estão dispostos a assumir um compromisso com outra pessoa. 

 

Contudo, estas não são razões bonitas de serem enumeradas quando se justifica que se quer estar solteiro. Assim, para camuflar os verdadeiros motivos de não querer uma relação, o pessoal esforçar-se por encontrar outras razões. Julgo até que alguns deles chegam mesmo a acreditar nelas...

 

A última que ouvi até causou, por breves instantes, uma interrupção das minhas sinapses.

Estava eu a meio de uma conversa com um gajo quando ele diz: "eu não quero uma relação neste momento, tenho outros objectivos, outras prioridades. Quero comprar uma mota. Quero organizar a minha vida, ter a minha motinha e só depois penso nisso." 

 

E foi assim, com esta frase, que me despedi de mais alguns neurónios. Espero que tenham ido para um sítio melhor...

 

Então Sara, e não perguntaste o que tinha a mota a ver com ter uma relação? Não e os meus outros neurónios agradeceram...

 

 

A passagem de ano em revista

Antes de mais, um bom ano a todos que decidiram que em 2019 iam continuar a perder tempo a ler o meu blog! 

Depois desta calorosa saudação vou responder à pergunta que vos inquietou a passagem de ano: terá a Sara encontrado um velho rico?

Não. Nem velho, nem novo, nem rico, nem pobre. Nadinha. 

 

Logo no primeiro dia da minha estadia dei de caras com um gajo que me encheu as medidas: um moçoilo jeitoso, na casa dos 40, sozinho na sala de pequeno-almoço do hotel. Ficou logo claro que o homem teria de ter algum problema, eu só tinha de descobrir qual. Porquê que era óbvio que ele tinha um problema? Porque eu gostei dele!!

 

Pouco tempo depois um casal idoso aproxima-se dele, cumprimentam-no e sentam-se juntos. Assumi que seriam os pais.

Porque razão um quarentão sensual estaria num spa com os pais?

 

  • É gay.
  • Saiu recentemente de uma relação.
  • É um solteirão.
  • É casado mas por alguma razão a mulher não estaria ali.

 

A primeira hipótese foi perdendo força à medida que o ia observando. O principal indicador que me levou a crer que seria hetero foi a roupa. Um gay não vestiria umas calças verdes com uma camisa roxa nem que essas fossem as únicas duas peças no armário. 

Os pais ainda tomavam o pequeno-almoço quando ele, logo após ter terminado o dele, saiu. Tornou-se claro que ele estaria acompanhado, talvez até tivesse um filho. A mulher, por alguma razão, teria ficado no quarto com a criança e ele foi tomar o pequeno-almoço.

 

As minhas dúvidas dissiparam-se umas horas depois quando o vi numa das piscinas do spa com a mulher e a filha bebé.

 

Isto prova duas coisas: nem num spa consigo relaxar porque a minha cabeça não para nunca e vou mesmo morrer solteira.