Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Mais que um post: um pedido de ajuda

Tenho dificuldades de relacionamento interpessoal. Digo o que quero, o que penso, o que sinto e isso geralmente não é bem visto pelos outros.

Tenho feito um esforço para ser mais comedida, pelo menos naquelas situações que não valem mesmo a pena. Contudo, parece que o meu esforço em ser melhor pessoa é inversamente proporcional ao esforço que as pessoas fazem para não serem umas bestas.

 

Deixo-vos um exemplo de uma troca de mensagens com um gajo:

 

Dia 1

 

Eu: 12.22  - Envio uma ligação

 

(Ainda não tiveste tempo para ver isso? Pediste-me para ver essa merda, perdi o meu tempo e tu nem te dás ao trabalho de abrir o link?) - foi o que eu pensei, mas não disse. 

 

Eu: 22.54 - Já viste?

 

Dia 2

 

Ele: 09.51 - Não xuxu. Vou ver.

 

(Estás a gozar com a minha cara?? Como é que ainda não tiveste tempo para ver isso? Se não querias não me pedias.) - foi o que eu pensei, mas não disse.

 

Dia 3

 

Ele: 10.56 - Ursa? (Ursa é um termo "carinhoso" usado entre nós e não um insulto)

 

(Aqui já não tive mesmo vontade de dizer o que quer que fosse.)

 

Ele: 16.28 - Ui, não me respondes?

Eu: 17.09 - Diz...

Ele: Que foi? Estás chateada?

Eu: Não. Diz.

Ele: Ok. Não digo. Essa postura para mim não.

Eu: Então se não queres dizer nada mandaste mensagem para quê?!

Ele: Mas f**** que resposta seca é essa? Diz? Estás a fazer-me algum favor? Frete?

Eu: Eu trato como me tratam. Se estou seca molha  

Ele: Eu estou a tratar por frete?

Eu: Só tu saberás responder a essa questão...

Ele: Oh Sara poupa-me estas merdas.

Eu: Isso digo-te eu a ti!! Tu é que te vieste queixar que estou seca 

Ele: Ok.

Eu: Não queres falar não fales, agora o drama do ia dizer mas com essa postura já não digo é dispensável.

 

E nunca mais soube nada dele...

Eu esforcei-me, vocês viram que eu me esforcei... Mas afinal o que é que suposto dizer quando alguém nos ignora e ainda nos trata com arrogância por não o bajularmos depois do desprezo que nos deu? 

 

"Olá amor da minha vida, meu raio de sol, minha razão de viver. Cada dia longe de ti é um dia desperdiçado, só contigo a minha vida faz sentido. A que se deve a honra de receber uma mensagem tua? Saber que gastaste alguns segundos do teu precioso tempo para me enviar uma mensagem faz-me sentir verdadeiramente especial. Peço desculpa se não deixei tudo o que estava a fazer para te responder logo, imediatamente, naquele preciso momento em que a enviaste, peço mil desculpas por isso. Eu sei que não mereço o privilégio de te ter na minha vida, mas por favor continua a tratar-me com esse desprezo com o qual já não sei viver. Perdoa-me por ser humana, por ter uma vida e sentimentos. Gosto mais de ti do que de mim própria. Para sempre tua."

 

É isto? É isto que é suposto responder? Se for digam-me que eu gravo já nas mensagens pré-definidas e assim é fácil, sempre que alguém cagar em mim eu envio a mensagem e fica tudo resolvido. Se não for deixem-me sugestões.

Preciso mesmo da vossa ajuda...

 

 

 

Black Friday

Chegou a tão esperada sexta-feira negra. E tão negra como a sexta-feira é a minha conta bancária!

 

Eu bem que enchi carrinhos de compras online, mas no momento de efectuar o pagamento percebi a escuridão que invadiria a minha vida quando chegasse a factura da electricidade que eu não teria dinheiro para pagar. Logo agora que anoitece mais cedo... 

 

Por isso, todas as compras que fizer hoje serão em lojas físicas e pagas em dinheiro. A angústia de ver o dinheirinho a sumir-se da carteira relembra-me que sou pobre e ajuda-me a controlar a mania da chiqueza que me assola. E pelo sim, pelo não vou ainda levar comigo a última factura da luz...

Casados à primeira lambidela

Sou uma espectadora assídua do Casados à Primeira Vista. Mas só porque sou uma blogger e tenho de estar a par dos assuntos do momento para ir de encontro ao que os meus inúmeros seguidores querem. Só mesmo por isso...

E, de facto, aquilo dá muito e bom material para escrita, não há dúvidas!

 

Num dos últimos episódios, um dos concorrentes confidenciou, que seria muito feliz se tivesse uma mulher que o tratasse como a cadela o trata uma vez que esta tem sempre um carinho para com ele quando ele chega a casa.

E eu identifiquei-me tanto com isto... Eu também sempre quis um homem que me tratasse como o meu cão. O meu sonho é ter um homem que, quando eu chegasse a casa, saltasse para cima de mim e me lambesse toda...

Insensível procura marido

Qual é a segunda coisa que as mulheres mais gostam de fazer quando estão na casa de um homem? Ver vídeos no YouTube.

A primeira é vê-los a jogar computador. Antes que perguntem, sim, eu saí com um gajo que me levava a casa dele e jogava computador enquanto eu lá estava! Mas não se limitava só a jogar, ele explicava e comentava o jogo. Alguém lhe terá dito que ele devia integrar as mulheres na vida dele e ele achou que seria mostrando como se safa na consola. E só para esclarecer falamos da consola de jogos...

 

Um dia, depois de todas as vidas perdidas no jogo (já para não falar da minha) mostrou-me vídeos no YouTube. Porno? Perguntam vocês, seus inocentes. Claro que não! Actuações do Got Talent.

 

A dada altura ele questiona a minha insensibilidade por eu não chorar durante as actuações que estávamos a visualizar. Eu pedi desculpa por ter nascido, prometi que não voltaria a acontecer, mas ele insistiu que não percebia porque eu era tão insensível uma vez que até ele próprio chorava com essas coisas.

 

Nesse momento descobri mais uma razão para estar solteira. E não, não é porque não choro a ver pessoas a cantar, é porque saio com gajos que choram por ver pessoas a cantar. 

Pacto de casamento

Todos os solteirões já fizeram, em algum momento da sua vida, um pacto de casamento com outro solteirão. Algo do género "se até aos 40 estivermos solteiros casamos um com outro".

Eu não sou excepção, mas pela primeira vez fi-lo com um gajo heterossexual! O que significa que há uma réstia de esperança de não acabar os meus dias sozinha com 3 gatos (embora quando olho para algumas pessoas me dê vontade de viver com a roupa coberta de pêlo dos felinos).

 

Há dias estava o segundo outorgante deste acordo a dizer-me que tinha de começar a levar os treinos no ginásio mais a sério para ficar gostoso.

 

- Estás parvo?! - perguntei-lhe eu - Se tu ficares todo gostoso vais certamente arranjar alguém que te queira antes de chegares aos 40 e eu vou ficar sem marido.

- Oh! Se eu estiver gordo nessa altura também não me vais querer.

- Achas mesmo?! Eu vou gostar de ti de qualquer maneira...

- A sério?!

- Sim. Nessa altura vou estar desesperada, qualquer coisa serve!

 

Acho que é por este tipo de respostas que os meus amigos dizem que estou solteira...

Respeitem os bebés, mas respeitem também a minha sanidade mental

Depois da saga "beijar ou não beijar os avós" estreia a saga "os bebés têm direito a dizer não".

 

Sim, agora surge uma cronista das Capazes (de onde mais poderia vir isto) que vem dizer que os pais devem respeitar os limites pessoais dos seus bebés e aceitar os seus nãos. A cronista defende que devemos pedir permissão para lhes tocar e dá como exemplo a muda da fralda. Segunda ela, os pais devem pedir autorização ao filho para lhe mudar a fralda e caso ele diga que não devem respeitar a sua vontade.

 

Já estou a ver a coisa: 

- José António, filho, você borrou-se todo. Dá licença à mamã que lhe mude a fralda? (choro)

- Vá lá, José António, o cocó já está a sair pelas costas...

(choro ainda mais intenso)

- Pronto, José António, não se zangue com a mamã. Não quer mudar a fralda não mudamos.

 

Eu acho muito bem isto dos limites, do respeito pelo outro e também defendo que não é não.

E eu NÃO quero continuar a ler/ouvir estas merdas (literal e figurativamente).

Podem por favor respeitar-me?!

A pouca saudinha que resta aos meus neurónios agradecia-vos imenso...

A importância da sexualidade na aprendizagem

Foi ontem notícia que uma escola do Porto aplicou um questionário aos alunos do 5º ano que incluía perguntas sobre a sua sexualidade, mais concretamente por qual género se sentem atraídos e se têm ou já tiveram namorados. 

 

Esta pressão para gostarmos de pessoas do sexo oposto e namorarmos não é de agora, a novidade é começar aos 10 anos e por escrito!

E suponho que a complexidade das questões aumente com o avançar da escolaridade. No sexto ano é provável que os putos já tenham de dizer não só se namoram ou namoraram, mas também com quantas pessoas, respectivos géneros e se já beijaram de língua. No terceiro ciclo suponho que perguntas sobre actividade sexual sejam incluídas, coisas básicas tipo "és sexualmente activo?", "se sim, quantos parceiros já tiveste?", "se não, sabes que sexo oral também é sexo?". No secundário, um nível já mais avançado, os alunos terão de indicar a frequência com que têm relações sexuais e as suas posições preferidas. Para finalizar, no 12º ano terão de descrever pormenorizamente a sua última relação sexual. 

 

Eu considero estas questões totalmente pertinentes. Como formadora reconheço que é extremamente pedagógico conhecer os nossos alunos e utilizar esses conhecimentos para os motivar e facilitar a aprendizagem.

Imagino, por exemplo, um professor numa aula de Geografia: "Pois Manel, não sabes onde fica a Islândia, mas o clitóris já sabes onde fica... seu malandro ignorante.", "África fica por baixo da Europa, tal como a Maria gosta de ficar por baixo do António.".

 

 

Isto sim, é uma escola com visão! E eu só vejo por aí malta a criticar...

Truque infalível para engatar gajos

Descobri este fim-de-semana como engatar um gajo na noite.

É muito simples, basta sair com um grupo só de amigas, vestida de branco, com um véu e uma pila na cabeça.

 

O radar de despedida de solteira dos gajos apita de imediato. O véu e/ou a pila na cabeça permite uma rápida identificação da noiva que é provável que esteja suficientemente bêbada para ter sexo com eles, o que aumenta logo a confiança dos gajos para a abordarem. Acresce ainda o facto de provavelmente ela estar disponível para cometer uma última loucura antes do casamento.

Outra clara vantagem é o facto de saberem que ela não quer uma relação e que não vai ligar no dia seguinte a chatear porque já é comprometida. 

 

Assim sendo está combinado, no próximo fim-de-semana vou sair só com gajas (quem quiser que se junte) e testar a teoria de que levar uma pila na cabeça é meio caminho andado para levar com uma pila noutro lado... 

 

 

Rescaldo de aniversário

Só para vos actualizar que já voltou tudo ao mesmo.

Findo o meu dia de aniversário já ninguém me liga nenhuma, já não sou uma gaja fantástica e maravilhosa. Nada.

 

Mas confesso que até sabe bem ter um dia no ano em que nos sentimos importantes e que gostam de nós (mesmo que seja mentira, o importante é o que sentimos).

 

Felizmente é só um dia. Eu não aguentava ser tão social durante mais tempo. Nem eu, nem a bateria do meu telemóvel! 

Diarreia verbal

Tendo em conta que os peidos poderão ser eventuais causadores de incêndios pareceu-me de muito mau tom que Salvador Sobral fizesse piada com isso num espectáculo de apoio às vítimas dos incêndios. 

 

Não percebi porque não foi a Meo Arena evacuada aquando desse comentário.

"Então Sara, não estarás a exagerar? Achas mesmo que um peido pode provocar um incêndio a ponto de terem de evacuar o edifício?" Não, o problema não é o peido e o risco de incêndio. É mais uma questão de saúde mental. Ouvir o Salvador Sobral falar durante mais de 5 segundos poderá causar lesões cerebrais graves. 

 

Eu desliguei logo a televisão, mas já não fui a tempo...