Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

A importância da sexualidade na aprendizagem

Foi ontem notícia que uma escola do Porto aplicou um questionário aos alunos do 5º ano que incluía perguntas sobre a sua sexualidade, mais concretamente por qual género se sentem atraídos e se têm ou já tiveram namorados. 

 

Esta pressão para gostarmos de pessoas do sexo oposto e namorarmos não é de agora, a novidade é começar aos 10 anos e por escrito!

E suponho que a complexidade das questões aumente com o avançar da escolaridade. No sexto ano é provável que os putos já tenham de dizer não só se namoram ou namoraram, mas também com quantas pessoas, respectivos géneros e se já beijaram de língua. No terceiro ciclo suponho que perguntas sobre actividade sexual sejam incluídas, coisas básicas tipo "és sexualmente activo?", "se sim, quantos parceiros já tiveste?", "se não, sabes que sexo oral também é sexo?". No secundário, um nível já mais avançado, os alunos terão de indicar a frequência com que têm relações sexuais e as suas posições preferidas. Para finalizar, no 12º ano terão de descrever pormenorizamente a sua última relação sexual. 

 

Eu considero estas questões totalmente pertinentes. Como formadora reconheço que é extremamente pedagógico conhecer os nossos alunos e utilizar esses conhecimentos para os motivar e facilitar a aprendizagem.

Imagino, por exemplo, um professor numa aula de Geografia: "Pois Manel, não sabes onde fica a Islândia, mas o clitóris já sabes onde fica... seu malandro ignorante.", "África fica por baixo da Europa, tal como a Maria gosta de ficar por baixo do António.".

 

 

Isto sim, é uma escola com visão! E eu só vejo por aí malta a criticar...

Truque infalível para engatar gajos

Descobri este fim-de-semana como engatar um gajo na noite.

É muito simples, basta sair com um grupo só de amigas, vestida de branco, com um véu e uma pila na cabeça.

 

O radar de despedida de solteira dos gajos apita de imediato. O véu e/ou a pila na cabeça permite uma rápida identificação da noiva que é provável que esteja suficientemente bêbada para ter sexo com eles, o que aumenta logo a confiança dos gajos para a abordarem. Acresce ainda o facto de provavelmente ela estar disponível para cometer uma última loucura antes do casamento.

Outra clara vantagem é o facto de saberem que ela não quer uma relação e que não vai ligar no dia seguinte a chatear porque já é comprometida. 

 

Assim sendo está combinado, no próximo fim-de-semana vou sair só com gajas (quem quiser que se junte) e testar a teoria de que levar uma pila na cabeça é meio caminho andado para levar com uma pila noutro lado... 

 

 

Rescaldo de aniversário

Só para vos actualizar que já voltou tudo ao mesmo.

Findo o meu dia de aniversário já ninguém me liga nenhuma, já não sou uma gaja fantástica e maravilhosa. Nada.

 

Mas confesso que até sabe bem ter um dia no ano em que nos sentimos importantes e que gostam de nós (mesmo que seja mentira, o importante é o que sentimos).

 

Felizmente é só um dia. Eu não aguentava ser tão social durante mais tempo. Nem eu, nem a bateria do meu telemóvel! 

Diarreia verbal

Tendo em conta que os peidos poderão ser eventuais causadores de incêndios pareceu-me de muito mau tom que Salvador Sobral fizesse piada com isso num espectáculo de apoio às vítimas dos incêndios. 

 

Não percebi porque não foi a Meo Arena evacuada aquando desse comentário.

"Então Sara, não estarás a exagerar? Achas mesmo que um peido pode provocar um incêndio a ponto de terem de evacuar o edifício?" Não, o problema não é o peido e o risco de incêndio. É mais uma questão de saúde mental. Ouvir o Salvador Sobral falar durante mais de 5 segundos poderá causar lesões cerebrais graves. 

 

Eu desliguei logo a televisão, mas já não fui a tempo... 

Uma tragédia nunca vem só

Muito se falou, durante o fim-de-semana, do incêndio que assolou Pedrógão Grande, das suas vítimas, dos familiares das vítimas, dos meios de combate aos incêndios, da actuação da comunicação social.

 

Do que ninguém falou foi do drama daquelas pessoas que tinham planeado ir à Praia das Rocas no domingo e viram-se forçadas a alterar os seus planos devido ao seu encerramento.

 

Um horror, uma verdadeira tragédia que escapou a muita gente.

Só quem leu os comentários da publicação em que a Praia das Rocas anunciava no facebook o seu encerramento é que percebeu como essas pessoas sofreram. À beira da desgraça delas o sofrimento daqueles que perderam a vida não é nada.

 

Esses dramas de vida são a prova de que a estupidez, tal como o fogo, alastra-se facilmente...

A dura vida de um resort

A vida num resort de 5 estrelas não é tão fácil como se julga. Há coisas que me incomodam bastante.

 

Por exemplo, uma pessoa está sossegadinha na espreguiçadeira a relaxar e é constantemente interrompida pelo barman a perguntar se queremos mojitos.

Penso que não havia necessidade disto...

É óbvio que quero um mojito, nem é preciso perguntar! 

Sobre treinar em casa

O maior problema de treinar em casa não é a baldar-me aos treinos ou aldrabar os exercícios. Mesmo sem ninguém a supervisionar eu dou o litro.

 

O meu maior problema é não ter alguém que acompanhe os meus exercícios.

Nomeadamente um PT jeitoso que enquanto eu faço agachamentos com barra esteja colado a mim de forma a que eu roçe os genitais dele durante o movimento.

 

É isto que falta aos meus treinos...

A Sara e o IRS

Dizem que os portugueses deixam tudo para a última. Mentira. Eu submeti ontem a minha declaração de IRS quando ainda faltavam dois dias para terminar o prazo!

 

Entrego sempre na última porque caso faleça até Maio pelo menos não tive de fazer o IRS. Esta é a única altura do ano em que lamento amargamente ser trabalhadora independente.

 

Razão tem quem diz que uma mulher precisa de um homem para tratar destas coisas.

 

Contudo, com a minha sorte e sendo sempre eu o gajo das relações, em vez de uma teria muito provavelmente duas declarações para preencher! 

Querido Cupido...

 

20170515_223913.jpg

Já soube dos teus planos... Por favor se for mais um gajo que não sabe o que quer acerta numa árvore, numa pedra, no que quiseres, mas deixa-me sossegada.

 

Caso o fulano não me dê ouvidos, alguém me sabe dizer se há alguma espécie de colete à prova de setas? Estou desesperadamente à procura de um!