Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

saracasticamente

Quando o Estado acha que somos ricos...

Todo o pobre gosta de se sentir rico, nem que seja por breves instantes.

 

É como quando vamos à Primark e saímos de lá com 2 sacos de compras em cada mão. Cada saco só tem 2 ou 3 artigos, nenhum desses artigos custou mais de 5€, mas ainda assim sentimos-nos ricos. 

 

Contudo, eu descobri que isto de parecer rico nem sempre nos faz sentir bem. Quando recebemos a tão indesejada carta das Finanças, com o valor de IRS a pagar, já não achamos tanta piada a esta coisa de dar ar de gente rica. 

 

Pelo sim, pelo não, só vou fazer o pagamento a 31 de Agosto que é a data limite.

Não porque goste de deixar tudo para a última, mas porque tenho alguma esperança de falecer até lá...  

Sobre o Dia dos Namorados

Ser pobre e celebrar o Dia dos Namorados começam a ser duas premissas incompatíveis.

 

Jantar fora é um atentado à carteira. Restaurantes com um preço médio de 15€ estão a cobrar 40€ por pessoa, o que perfaz a módica quantia de 80€ por casal. Ora por 80€ consegue-se passar a noite num hotel e prolongar os festejos.

Mentira! Porque os hotéis que habitualmente cobram 80€ por noite cobram o dobro nessa noite.

 

Não fica fácil...

Então só me resta dar uma de pobre apaixonada e dizer que o que conta mesmo é o sentimento... 

Os meus investimentos

Acho que já vos tinha dito, acho mas não tenho bem a certeza, que queria muito uma mala da Tous. Já vos tinha falado acerca disto? Já?! Muitas vezes? Já estão a questionar-se porque raios não compro eu a mala e páro de falar disso?

 

Ora eu não compro a mala não é porque não tenha dinheiro, eu até tenho, tenho é o dinheiro investido em despesas. É a prestaçao da casa, as contas da água, luz, gás, televisão, internet, telefone, telemóvel, é o seguro do carro, seguro da casa, seguro de saúde, seguro de vida, seguro de acidentes de trabalho, seguro de responsabilidade civil, é a segurança social, IVA, IRS, IUC, são as taxas, as sobretaxas, as taxas sobre as sobretaxas e o diabo a quatro.

 

Só a prestação da casa é equivalente a uma mala. É uma mala que compro a menos todos os meses... Doze malas num ano! Podia viver numa tenda e ter doze malas novas todos os anos. Está bem que dormia numa tenda à noite, mas pelo menos espalhava chiqueza durante o dia.

 

A minha questão é: será que se eu for ao banco e explicar a situação eles me retiram uma prestação da casa, só mesmo uma, para comprar a mala? Acham que eles são compreensivos e empáticos com estas situações? É que a eles nem fazia diferença, e a mim fazia-me tão feliz...

Pobre sendo pobre mais uma vez

Pobre que é pobre não resiste a uma oferta.

Por isso quando recebe um cupão de oferta de uma sandocha na caixa do correio dirige-se à loja mais próxima para reclamar a sua oferta.

 

Ainda que a promoção esteja especificada no panfleto o pobre questiona o lojista sobre todas as condições, não vá o diabo tecê-las e ter de pagar alguma coisa que não estava prevista. É então explicado que tem uma sande de oferta entre salmão, rosbife e foie ou frango e brie. Claro está que a lojista teve de explicar o que é rosbife, o que é foie e o que é brie porque pobre não sabe o que isto é.

 

Ora o pobre não gosta de nenhuma destas coisas.

Mas o que é de borla é de borla e há que aproveitar e o pobre vai aproveitar na mesma a promoção. Por isso vai comer uma sande que não gosta para receber de oferta outra sande que não gosta.

E é assim que os restaurantes de fast food facturam.

A Sara quer, a Sara quer muito!

Como já vos disse 550 mil vezes apaixonei-me por uma mala da Tous.

Acontece que a mala desapareceu misteriosamente das lojas. Por desapareceu misteriosamente entenda-se que pessoas que não são pobres como eu a compraram.

 

A semana passada fui ao El Corte Inglês e assim que entro vejo a mala. Vi-a ao longe, apenas a lateral mas ainda assim reconhecia-a. Aproximei-me para que lhe pudesse tocar, pegar nela, imaginar uma vida ao lado dela e todos os momentos de felicidade que poderíamos partilhar.

 

A funcionária da loja vendo-me interessada na mala, e não sabendo que eu sou pobre, explicou-me o conceito. A mala é composta por diferentes bolsas, algumas reversíveis, permitindo diferentes conjugações.

image.jpg

A mala

 

image.jpg

Algumas das bolsas disponíveis

 

 

image.jpg

O resultado final

 

 

E quando uma pessoa pensa que não pode ficar mais apaixonada... o amor acontece.

A senhora falava, os meus olhos sorriam, o meu coração batia forte... e eu ia sentido a pobreza no meu interior. 

 

Infelizmente a minha conta bancária continua a insistir nisto de me separar de todas as minhas paixões.

Pobre sendo pobre

Durante uma estadia num hotel deparei-me com uma personagem que fazia uma videochamada durante o almoço.

 

Ao longo da videochamada fez questão de mostrar a sala de refeições (bem como as pessoas que lá estavam), as vistas da janela e até o prato com a comida. Como se não fosse suficiente avisou a destinatária da chamada que lhe ligaria quando chegasse ao quarto para o mostrar também. Não sei se a sessão de sexo com o marido também foi transmitida, não sei inclusive se houve sexo (foi uma pena ela não ter referido isso).

Fez ainda questão de referir que ia fazer uma massagem e especificar qual a massagem. Apostei as fichas todas em como seria a massagem mais barata que constava da oferta do hotel... e era mesmo!

 

Na ideia dela estaria a mostrar o quão chique é por frequentar um hotel xpto. Na verdade estava só a anunciar que é pobre.

Ser pobre é...

...trazer as compras na mão para não pagar 10 míseros cêntimos por um saco.

 

Mas há lojas, como no Celeiro, em que são uns fofos e caso não queiramos saco colocam as compras num pacote.

 

Funcionário: Vai desejar saco?

Eu: Não é necessário, eu levo no pacote.

Funcionário: Ah... Com certeza. Pois... Portanto não quer saco?

Eu: Não, obrigada.

Funcionário: Então são 12, 12 euros, são 12 euros e 75. 12 euros e 75 cêntimos. 

 

Dizem que eu intimido as pessoas...